Bordin para estudantes de Direito: garantindo oportunidades de emprego

“A política é feita de escuta diária e de discussão constante, percebendo as necessidades e solicitações dos territórios. Um compromisso a enfrentar com equilíbrio, bom senso e paciência, sem ceder ao desespero quando as coisas não correm como gostaríamos e sem nunca ceder à agressão, ao mesmo tempo que se limita também por instinto.” Isto foi sublinhado no salão do edifício do conselho de Trieste pelo presidente da Assembleia Legislativa de Friuli Venezia Giulia, Mauro Bordin, durante encontro com representantes da Associação Europeia de Estudantes de Direito (Elsa), principal associação continental que reúne estudantes de disciplinas jurídicas.

“Vocês estão percorrendo o mesmo caminho percorrido pelo abaixo-assinado – acrescentou o chefe do Conselho Regional no seu discurso de saudação – quando me matriculei na Faculdade de Direito de Trieste, e depois obtive a qualificação para exercer a advocacia. Uma experiência que ainda me lembro com muito prazer. Ao mesmo tempo, porém, também iniciei atividade institucional como prefeito da minha cidade e, após vencer um concurso, decidi me concentrar na política e na administração”.

“Uma atividade – continuou Bordin – que retribui tantos sacrifícios e inúmeros compromissos, que honra e dá muito, mas que também tira muito de você. Tensões, preocupações e responsabilidades, no entanto, desaparecem quando confrontados com o privilégio de poder ter um impacto positivo na vida dos outros.” Os jovens convidados, cerca de trinta anos, acabavam de regressar de uma visita guiada aos espaços do edifício da Piazza Oberdan, culminando num conjunto de estudos aprofundados que os gabinetes camarários propuseram através da ilustração dos mecanismos que envolvem os vários órgãos legislativos.

“A jurisprudência – especificou Bordin – garante uma riqueza de competências e conhecimentos a serem utilizados em múltiplos setores. Você frequenta uma universidade de prestígio, seletiva e resistente. Tenho orgulho de ter me formado em Trieste e convido vocês a se sacrificarem, aguentando com teimosia para alcançar seus objetivos”. “Ao mesmo tempo – destacou o presidente, antes de responder às muitas perguntas que lhe foram dirigidas – as instituições a todos os níveis devem trabalhar para evitar a fuga de estudantes para outras Regiões e para o estrangeiro: é preciso discutir e questionar-nos para compreender o que são os limites que os jovens encontram quando saem das nossas universidades”.

Presente em 43 países europeus, a Elsa é uma realidade independente, apartidária e não confessional, gerida por estudantes de direito e jovens licenciados. Opera em três níveis: internacional, nacional e local. A Elsa Italia, fundada em 1985, está presente em 37 cidades (incluindo Trieste e Udine) com mais de 4 mil associados. “Comparativamente ao meu tempo – concluiu o presidente do CR – o mundo, as gerações e também o contexto social em que as crianças crescem mudaram. No entanto, vejo em você bases sólidas para crescer: a administração pública precisa de pessoas capazes e que possam oferecer oportunidades profissionais interessantes. A universidade, por sua vez, deve garantir tanto uma perspectiva teórica como uma visão atenta à realidade da vida quotidiana, para enfrentar as riquezas e os obstáculos do mundo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *